Ilustração: Martín Azambuja

Leer en español.

Mesmo que às vezes não pareça, Montevidéu é uma cidade jovem.  Por isso, diante de outros pontos do nosso litoral, como Punta del Este ou Colônia de Sacramento, a capital uruguaia sempre ficou um pouco relegada turisticamente falando.  Mas, esse caráter secundarista pertence ao passado: hoje Montevidéu floresceu para se converter nessa cidade vibrante e charmosa que temos orgulho de mostrar.  Graças à energia de jovens empreendedores, cada dia soma mais propostas de tendência internacional e, assim, tem ganhado fãs tanto locais como internacionais.  Senão, leiam a reportagem que o New York Times fez a seu respeito.  Essa mudança vem acompanhada da transformação do papel da juventude uruguaia, cada vez mais talentosa e apaixonada.  Por isso, em colaboração com a Mercedes Benz e sua campanha Grow Up, que destaca o novo papel ativo dos jovens adultos que evolucionam (e revolucionam),  estilhaçando todos os preconceitos que se têm deles, festejamos o crescimento de Montevidéu com esta #GuiaCouture dos circuitos mais interessantes da capital.

Foto: Ricardo Saporta.

Circuito CIUDAD VIEJA (CIDADE VELHA)

Pela sua proximidade ao Porto, à sedução do antigo Montevidéu e a quantidade de prédios estatais e escritórios que concentra, a Cidade Velha recebe um fluxo muito importante de pessoas, especialmente de segunda-feira a sábado.  Graças à mistura de público, se instalaram diferentes propostas gastronômicas de grande valor sobre a zona de pedestres (Peatonal Sarandí), tais como o jovem Ceibo ou o já clássico Estrecho, favoritos entre as pessoas que trabalham na Cidade Velha.  Temos o Jacinto, restaurante da chef argentina Lucía Soria (anteriormente mão direita de do grande chef argentino Francis Mallmann), ideal para compartilhar uma ocasião especial.  Ao redor de Jacinto foram aparecendo outros jogadores interessantes, como o Mercado Verde, perfeito para um desejo vegano para o verão.  Na esquina, chegando à bela praça Zabala, os habitantes de Montevidéu sentem-se felizes comendo as tigelas de poderosas e fresquíssimas saladas da Gabbs (por ali passaram os Gorillaz quando estiveram por aqui). As “tapas” ou petiscos, como em Madri, são especialidade do Toledo, enquanto que as Irenes (uma nascida na Venezuela e outra em Rosário, Argentina) enfeitiçam com sua cozinha no Santé, um favorito de postagens no Instagram, e que tem aos sábados um brunch muito comentado.  Perto do Teatro Solís, exibe seus encantos La Pasionaria, que recebe visitantes com uma oferta de restaurante, presentes, artesanato local e, às vezes, exibições de arte.  A esta lista somou-se recentemente um novo clássico: La Farmacia Café, o mais cool de Montevidéu, montado em uma belíssima farmácia e com o selo de qualidade do café feito por baristas puros e duros.  Â noite, tendo se transformado com os anos, La Ronda, berço de discos de vinil e poetas, estará sempre em nossa lista.

Foto: Instagram (@cafelafarmacia).
Foto: Santé café & cocina.

A Cidade Velha também é onde se concentram os espaços culturais, entre os quais estão o Centro Cultural Espanha (grande referente da cena cultural e artística da cidade), o Museu Romântico, o de Artes Decorativas, o Museo Gurvich, o Torres García e o MAPI – Museu de Arte Pré-Colombiana e Indígena, com seu interessante café, logo em frente ao atelier da Ana Livni, precursora do desenho local e da moda lenta.  Além do mais, neste circuito podemos desfrutar de dois lugares clássicos para os amantes da arte cênica: o Teatro Solís e suas imperdíveis propostas internacionais, e o Auditório Nacional do SODRE, onde podem ser apreciados inúmeros talentosos artistas do país, incluindo o Ballet Nacional.  Quando há tempo, pode-se passar um tempo folheando exemplares pelas livrarias mais autênticas da cidade: Linardi Risso (que tem uma curadoria impecável de livros latino-americanos novos e antigos), Más Puro Verso e La Lupa.  Outra proposta muito interessante, nesse sentido, é a de Alma Histórica Boutique Hotel, sede de atividades culturais de diferentes países e organizador de tours de designers locais.  Caso queiram somar um pouco de compras, a rua de pedestres Peatonal Sarandí também se consolidou como circuito e inclui marcas de desenho local, como Rotunda, entre várias outras opções.

Museo de Artes Decorativas. Foto: MEC.
Rotunda Ciudad Vieja. Foto: Rotunda.

Circuito BAIRRO SUL/PALERMO

Uma zona que renasceu nos últimos anos e que parece continuar um processo de rejuvenescimento é a do Bairro Sul e Palermo.  Com uma forte influência na cultura uruguaia graças a seu Desfile de Chamadas, que se desenvolve nesta área, muitos escolhem caminhar pelas ruas destes bairros à procura de novas propostas que reúnam suas tendências com a cultura uruguaia.  Um exemplo deste tipo de lugar é o Cebollati 1326 e seu espetacular brunch de fim de semana.  Também temos a novidade Provisão Amorin, com uma pequena, mas deliciosa, seleção de pratos.  Mas o real propulsor desta zona foi o adorável Candy Bar, que recuperou um velho bar do bairro e o transformou, com escola espanhola, em um ponto de encontro de comidas deliciosas e os melhores drinques de Montevidéu (além do brunch de domingos ao meio dia).  E se falamos de clássicos, o tradicional sanduíche de filé uruguaio – o chivito – tem no Bar Tinkal uma instituição, que além do mais tem vista ao mar, e música as sextas e sábados.

De saída ou de chegada, a Cinemateca Uruguaia, ícone cultural da cidade, proporciona, com sua cuidadosa programação de bom cinema, um programa perfeito nesta área.

Foto: Candy Bar.
Llamadas en Barrio Sur. Foto: Youtube.

Circuito PUNTA CARRETAS/PARQUE RODÓ/CORDÓN

Apesar de ser visto por muitos como o “bairro do Shopping”, Punta Carretas hoje alberga diferentes propostas de design que estão chamando a atenção do público, tais como Rotunda, Pacta, Black & Liberty, Casa Solano, Telma, Zurra e Caro Criado, entre outras.

Muito perto, sobre a rua 21 de Setiembre, um itinerário que começa perto da esquina com a rua Juan Benito Blanco, inclui Positano, VDamiani, T_i_e_n_d_a, Srta. Peel e Gau. Após uns dez minutos de caminhada, chega-se ao bairro Parque Rodó, onde está o Museu Nacional de Artes Visuais, com as exibições mais completas e atrativas e, agora, com um espaço de café aberto por expertos no assunto: The Lab Coffee Roasters.

Existem lugares já considerados clássicos para almoçar ou jantar nos arredores de Punta Carretas como o Philomène, La Dulcería de Xime (doces, doces e mais doces) dois favoritos para a hora do chá. Sumi Sushi, trás a cozinha japonesa-uruguaia mais autêntica.  Há também o La Lupita – amor à mexicana – e La Pulpería, a clássica “parrillada” (churrascaria) com poucas mesas que é a escolhida pelos locais e os turistas em igual medida e onde nossa editora uma vez compartiu a barra com a banda Franz Ferdinand.  Para drinks e hambúrgueres, o bar mais badalado é o Bardot, que também incorporou delicioso menu diurno.  Do café da manhã ao jantar, a esquina de Hoy Te Quiero está em constante movimento e sempre voltamos lá à procura de seus bagels recheados.

t_i_e_n_d_a Punta Carretas. Foto: Intsagram (@t_i_e_n_d_a).
Foto: Instagram (@hoytequiero).

De todas as formas, se falamos de propostas gastronômicas, o circuito Parque Rodó-Cordón é o que certamente ganha o coração de Couture, com opções muito diferentes, mas todas atrativas.  O lugar para almoçar é no Escaramuza, onde esperar não é um problema: poderíamos ficar horas revisando suas estantes de livros amorosamente selecionados.  Para conseguir mesa convém ir cedo, ou até passar do café da manha ao almoço.  Caso não conseguirem, o Baker’s Bar abre agora ao meio dia, apesar de que o forte mesmo são os seus coquetéis, alguns dos melhores da cidade, à noite.  Outra opção é dar um pulo no Mercado Ferrando, uma praça gastronômica que, após uma grande expectativa, abriu em fins de 2017 e chegou para dar uma boa agitada no bairro (uns dias antes da inauguração foi o marco perfeito para o lançamento da campanha Grow Up da Mercedes-Benz).  O mercado junta diferentes propostas locais em um ambiente descontraído e de celebração, e atenção que abre de segunda a segunda desde o café da manhã até o jantar.

Para um almoço mais formal, recomendamos a cozinha do Sucré Salé, no charmoso casarão da Aliança Francesa; mas se nos dessem escolha, optaríamos pelas suas deliciosas opções para a hora do chá ou seu brunch do fim de semana.  Outra novidade que nos trouxe o ano 2017 foi La Tostaduria, que funciona como HQ do Café Nômade, uma barra de especialidades de café que se encontra nos lugares mais badalados da cidade.  Se o tempo é bom e a preferência é a de comer em um lugar mais descontraído, desfrutando do belíssimo parque Rodó, recomendamos passar pelo Club del Pan (Clube do Pão) e devorar um de seus “zukulentos” sanduíches ou levar para casa ou hotel o pão mais gostoso da cidade, elaborado artesanalmente a partir de massa mãe (fermento natural).

Foto: Escaramuza.

Pode-se terminar a noite dançando a melhor música da cena local no Rio Café & Club, frente à Beira Mar e ao lado do Parque Rodó. Caso se prefira música ao vivo, o mítico porão do Inmigrantes (ex Paullier e Guaná, outro velho bar recuperado) alberga os shows de vários dos artistas musicais uruguaios contemporâneos de maior destaque e tem, além do mais, uma cozinha tipo mediterrânea de bons ingredientes.  O jazz e o ambiente mais boêmio se concentram no El Mingus que, além disso, tem sua própria grapamiel (tipo de cana com mel), bebida icônica da noite montevideana.

Quanto às atividades dominicais, vários montevideanos começam seus domingos com um passeio bem central já que acontece na zona do Centro da cidade: a feira de Tristán Narvaja.  Ali pode-se encontrar literalmente qualquer coisa, mas nós preferimos as antiguidades e os tesouros de colecionadores, como a clássica loja art dèco sobre a rua Tristán Narvaja.  Em se tratando de roupa vintage, a Rouparia Espartaco tem sempre joias escondidas e rota muito a sua mercadoria.

Foto: Mercado Ferrando.
Foto: Instagram (@inmigrantesmvd).

Circuito AGUADA/TRES CRUCES

O que antes era uma zona afastada do circuito turístico, hoje concentra vários lugares imperdíveis para estrangeiros e locais.  Comecemos pelo renovado Mercado Agrícola de Montevidéu, que é um lugar tanto para comprar produtos frescos a preños competitivos, como um passeio em si mesmo, oferecendo desde diferentes frutos secos até cervejas artesanais, livros e espetáculos públicos, quase sempre gratuitos.  A fábrica recuperada que se tornou um passeio obrigado para os amantes do design local, é Sinergia Design, um centro comercial independente que reúne as marcas de design mais atrativas, e também música, comida e recreação para crianças.  Abre de quintas ao domingo e aos fins de semana oferece um brunch, assim como diversas feiras, sessões de vinil e ativações.

Após as compras, pode-se passar pelo Espaço de Arte Contemporâneo, que além de seu calendário de exibições, tem propostas musicais superinteressantes.  E, em se tratando de música, o lugar que não pode faltar neste trajeto, é La Trastienda, uma sala que tem recebido inúmeros artistas internacionais que os uruguaios nem imaginávamos que iriam tocar por aqui algum dia.

 

Foto: Sinergia.
Seu Jorge en La Trastienda. Foto: Instagram (@latrastiendamvd).

Circuito PRADO

Afastado da faixa litorânea e, por isso, considerado um reduto mais “para entendidos”.  Não há melhor destino que o Prado para encontrar tranquilidade no meio da cidade, cercado de verde e de arquitetura.  Neste bairro se concentram três espaços imperdíveis para os amantes dos jardins: o Jardim Botânico, o Rosedal e o Jardim Japonês.  Embora todos se caracterizam por sua tranquilidade, cada um convida a fazer coisas diferentes.  O Jardim Botânico é ideal para se desconectar no fim de semana e ir com amigos a bater um papo ou até fazer um piquenique e conhecer flora autóctone, enquanto o Rosedal (data de 1912) é escolhido por vários fotógrafos (profissionais e amadores) para tirar fotografias.  Logicamente, a melhor época do ano para visitá-lo é a primavera, quando as suas centenas de rosas estão florescidas.   Por outro lado, o Jardim Japonês é perfeito para um dia recreativo improvisado, já que está localizado dentro do prédio do Museo Blanes, e se presta para uma dose dupla de cultura.  Se bem a natureza e a arte sempre são um prazer, não há melhor complemento para um passeio que um bom café, e o melhor do bairro é o Cafetto Prado.

La arquitectura del Prado es de las más lindas de la ciudad/ A arquitetura do Prado é das mais belas da cidade. Foto: Wikicommons.
Museo Juan Manuel Blanes. Foto: Instagram (@einshel__)

Circuito POCITOS/ BUCEO

Embora seja o bairro onde se concentra a maior parte dos habitantes de Montevidéu, Pocitos apresenta o encanto de ter diferentes caras, dependendo das ruas por onde a gente atravessa.  Uma das principais atrações para os estrangeiros é a “Rambla” (calçadão da avenida costeira) de Montevidéu.  O ideal é percorrê-la a partir do Parque Rodó (ou praia Ramírez) até o Buceo, caminhando ou em bicicleta, para desfrutar da paisagem em diferentes pontos, como em Trouville, para ver a incrível arquitetura do Castelo Pittamiglio, sentar-se nos bancos de Kibón, ou fazer uma parada espontânea no Museo Oceanográfico.

De regresso, a gente pode dar uma parada no hotel Hyatt Centric e escolher uma de suas propostas gastronômicas, como o Restaurante Plantado, moderno bar e delicatéssen, para lanchar.  Caso procurem um lugar a preços mais acessíveis, recomendamos passar pelo Sinergia Food Spot para escolher entre a sua variedade de sabores – aí estão os melhores sanduíches da cidade, como o Futuro Refuerzos, ou caso preferirem um hambúrguer, recomendamos experimentar os da Burgers ou Rudy Burgers. Sushi True é, por sua vez, o reduto do sushiman Dany Sadi e este é o lugar para os amantes do bom sushi.

Foto: Facebook Hyatt Centric Montevideo.
Futuro Refuerzos. Foto: Álvargo Gargiulo para Futuro.

Circuito PUNTA GORDA/CARRASCO

Punta Gorda e Carrasco se caracterizam pela tranquilidade e beleza da vegetação que circunda a zona.  Em Punta Gorda encontra-se o ponto estratégico para assistir um maravilhoso por do sol: a Praça Virgilio, onde ir com a cuia e o mate é quase uma obrigação.  Já seja para almoçar, lanchar ou jantar, o Credo Café é um dos preferidos do pessoal do bairro.  Mais próximo a Carrasco, ficar em contato com a natureza é quase imperativo.  Por isso, Lavender – que funciona como casa de chá e viveiro de plantas – é um clássico onde comer em torno de muito verde (com a possibilidade de levar para casa alguma plantinha).  Outra alternativa é ir até a La Linda – versão montevideana da padaria de Manantiales, um dos lugares badalados de Punta del Este –- e desfrutar em seu jardim de uma deliciosa refeição, com selo artesanal.  Para os que gostam de café de excelente qualidade, o La Madriguera Café é um lugar pequeno, mas com muita personalidade.  Uma alternativa diferente é o Alquimista Bistrô e Hotel, um pequeno hotel de seis quartos em uma clássica casa de Carrasco, que também serve de restaurante, casa de chá e lugar para eventos.  A grande novidade gastronômica de 2017 no bairro foi Manzanar, herdeiro do estilo Mallmann e do premiadíssimo La Huella de José Ignacio.  O restaurante fica em frente do Hotel Sofitel Cassino Carrasco e abre ao meio dia e à noite. Convém reservar ou, caso contrário, sentar-se na barra e experimentar alguns dos deliciosos drinques da casa.  E não podemos deixar de mencionar clássicos de Carrasco, tais como o Café Misterio, pedra angular da gastronomia da cidade, com a interessante cozinha do chef Juan Pablo Clérici.  Ou o Bar Arocena, onde se come o melhor – dizem os que sabem – chivito do país.  O chivito é o tradicional sanduíche de filé da cozinha uruguaia, equivalente ao hambúrguer para a cozinha norte-americana.

Sofitel Casino Carrasco. Foto: Wikimedia Commons.
Foto: cortesía Caro Criado.

Na hora das compras, Carrasco tem se transformado em um centro mais do que interessante, que inclui lojas sobre a principal rua do bairro (Arocena) como Magma, Caro Criado, Rapsodia, Pecarí ou Rotunda, e Sabrina Tach (estas últimas no mall), além de VDamiani e Telma, sobre a rua Rostand (e já que estamos, todos merecemos um chocolate da Mariapasión). Ou Madame Hibou e T_i_e_n_d_a em outras ruas paralelas.  Uma favorita de Couture é a Casa Banem, uma “boutique de tentações” com objetos de decoração e têxteis, moda, cama e mesa e plantas, localizada em uma casa com um jardim maravilhoso que faz parte do patrimônio histórico de Carrasco.  Fiquem atentos, além do mais, aos calendários dos eventos de rua que são organizados no bairro, como o festival gastronômico Degusto ou Passeio Rostand.

Esperamos que com estas dicas vocês possam aproveitar ao máximo a vossa estadia na nossa capital e aprendam a gostar dela tanto quanto nós.

Para que se localizem e armem seus próprios circuitos, deixamos abaixo o mapa da #GuíaCouture de Montevidéu: